Os 10 filmes mais aguardados para o segundo semestre de 2019

Facebook Whatsapp Twitter Linkedin Email

Um dos hobbys preferidos da geração atual é assistir filmes, o que fica mais divertido quando feito no próprio espaço do cinema, com aquela pipoquinha amanteigada.

Um dos fenômenos tecnológicos mais impressionantes de toda nossa história é a captação de imagens, como a fotografia, que foi possível depois da criação do cinetoscópio pelo assistente do cientista americano Thomas Edison, em 1889. Essa invenção e outras posteriores permitiram o desenvolvimento do cinema que conhecemos hoje, a chamada arte cinematográfica. No primeiro modelo de cinema, que era individual, o espectador via imagens no interior de uma câmera escura através de um orifício e com apenas um olho. O inventor, Thomas Edison, não patenteou a invenção, o que permitiu que outros cientistas aperfeiçoassem o modelo. Em 1892, Léon Bouly, cientista francês, desenvolveu o cinematográfico, que gravava e projetava a luz das imagens em movimento para uma tela em quadros por segundo, o qual foi patenteado pelos irmãos Lumière. Os irmãos começaram a fazer algumas pequenas produções cinematográficas e exibi-las em sessões.

A primeira exibição de um filme feito pelos irmãos foi em 22 de março de 1895 e tinha como título “La Sortie de L’usine Lumière à Lyon”, que significa A Saída da Fábrica Lumière em Lyon, e registrava a saída dos funcionários do interior da empresa dos irmãos que ficava em Lyon, na França. Depois disso, os irmãos começaram a registrar e reproduzir outras cenas do cotidiano e algumas cenas dramáticas, com uma pegada mais teatral, de acordo com Edgar Morin, na obra “O Cinema ou o Homem Imaginário”. Porém, apenas no começo do século XX que o cinema começou a se firmar como uma arte, o que aconteceu devido as ações de artistas interessados em teatro, música e outros tipos de efeitos cênicos. Um dos principais responsáveis desta fase do cinema foi Georges Meliés, que dirigiu o filme “Viagem à Lua”, de 1902 (Foto abaixo), e que possuía efeitos visuais impressionantes para aquela época.

Fonte: Reprodução/Plano Crítico

Depois que o cinema se tornou uma arte e se fez presente no mundo todo, ele acabou por se tornar algo que envolve muito dinheiro e é alvo de grandes especulações e com grande concorrência quando se trata de arrecadações com as bilheterias. O que mais se busca no mundo do cinema, hoje, é o sucesso. A cada ano que passa, vemos que as produções ficam melhores. As histórias com melhores enredos, os efeitos especiais cada vez mais reais e menos perceptíveis, além de outros pontos, como a fotografia, o som, a trilha sonora, figurino, etc. Além disso, é mais comum ver que os filmes têm continuação, principalmente aqueles que fizeram sucesso anteriormente. Os filmes que contam uma história já escrita, como o caso das histórias em quadrinhos da Marvel, são um ótimo exemplo disso. E até mesmo aqueles filmes que foram produzidos sem a intenção de ter continuidade, mas o sucesso foi tão grande, que criaram mais uma ou duas partes para a alegria do público. Pensando em toda a história do cinema, e de como ele evoluiu ao longo da história e caiu no gosto das pessoas, trouxemos uma lista com os filmes mais aguardados do segundo semestre de 2019:

Homem-Aranha: Longe de Casa

Fonte: Reprodução/O Vicio

O novo filme da Marvel, seu 23º, vem logo depois do grande sucesso de Vingadores: Ultimato e será o responsável por encerrar a Fase 3 do estúdio. Peter Parker se juntará a Nick Fury e a um personagem enigmático chamado Mysterio, que afirma ter vindo de uma outra faixa dimensional. Durante uma viagem divertida com seus amigos pela Europa, o Aranha vai entrar em uma das missões mais perigosas que já enfrentou. O filme estreia no dia 4 de julho, dia da independência norte-americana.

Próximo