Comunidades contra a pandemia

O país está mobilizando para a prevenção do novo vírus que se espalha mundo afora. Muitas pessoas já estão em isolamento e com uso contínuo de álcool em gel e higienização. Sabemos, porém, que esta não é a realidade de toda a população brasileira.

No Brasil, mais de 13 milhões de pessoas moram em comunidades. Pessoas que não possuem condições de se prevenir de acordo com as recomendações do Ministério da Saúde. Como, então, sobreviver nesta pandemia?

pandemia - comunidades

Logo na primeira semana de isolamento, a tag #Covid19NasFavelas tem chamado atenção. Moradores de todas as comunidades têm mostrado a sua realidade durante a pandemia e, podemos concordar, que é totalmente diferente dos famosos que encontramos pela internet.

Dentro de um contexto em que uma casa de dois cômodos pode ser ocupada por dez pessoas e que a água acaba com frequência, a dificuldade de se previnir contra esta crise da saúde é maior.

Por conta do desemprego e da dificuldade financeira, muitos não conseguem comprar água ou álcool em gel. Isso abre portas para a criação de fakenews por algumas pessoas, como a história de que bebidas alcoólicas podem curar a doença gerada pelo vírus.

Apesar disso, muitos moradores têm a consciência das medidas preventivas por causa dos jornais televisivos e seguem à risca.

Com a água escassa e a presença de muitas pessoas em uma casa só dificulta o cumprimento das medidas de prevenção – para isso os médicos Paulo Buss e Lígia Bahia, do Rio de Janeiro sugerem ao Estado:

“Às concessionárias, sejam públicas ou privadas, de água, esgoto e lixo, as favelas devem ser objeto prioritário” e “No Brasil grande parte da população brasileira não consegue fazer quarentena nos seus locais de residência habituais. É tirar essas pessoas das favelas e utilizar quartos de hoteis, dormitórios que são utilizados para retiros religiosos como instituições para isolamento de pacientes que não consigam fazer isolamento dentro de suas residências habituais” em entrevista ao Fantástico neste domingo (22/03).

Nos momentos atuais em que a prevenção contra o vírus deve ser uma responsabilidade tanto do Governo como da população, precisamos nos ajudar. Existem diferentes ONGs disponíveis para receber qualquer tipo de doação para ajudar não só as comunidades como qualquer pessoa que necessite de ajuda para se prevenir.

Lembre-se das medidas preventivas (saude.gov.br):

pandemia - prevenção
  1. Lave as mãos com água e sabão ou álcool em gel;
  2. Cubra o nariz e a boca ao espirrar e tossir;
  3. Evite aglomerações se estiver doente;
  4. Mantenha os ambientes bem ventilados;
  5. Não compartilhe objetos pessoas.

E, como já declarado, não custa lembrar também que devemos nos manter em quarentena por tempo indeterminado. Sendo assim, você já tem planos para como passar esse tempo? Confira aqui nosso post “Não fique entediado nesta quarentena!”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.